terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Estripitize-se

OBRIGADA A TODOS QUE VISITAM ESTE LUGAR. HOJE, TECNIMAENTE, ELE FAZ UM ANO. NO MEU CORAÇÃO, PORÉM, É MAIS ANTIGO DO QUE IMAGINAM. DEIXO AQUI A CRÔNICA INAUGURAL DO BLOG. UM BEIJO EM CADA UM DE VOCÊS. UM ABRAÇO APERTADO. GOSTARIA MUITO MESMO DE CONHECER PESSOALMENTE CADA UM DOS QUE SÃO FIÉIS À LEITURA DAS CRÔNICAS E DOS POEMAS AQUI POSTADOS. OBRIGADA. OBRIGADA. ME DOBRANDO, MAIS UMA VEZ, OBRIGADA. BEIJOS, MÔ AMORIM
Eu nunca fiz. Juro. Já peguei telefone de curso pra aprender o jeito, a sincronia, a dobradinha da perna... Mas nada! Só de me imaginar me mostrando para um homem dava nervoso. Sabe aquela sua tia velha que mora na sua cabeça e que fica falando: “Ô menina amostrada, essa!”? Risos. Então... Essa tia que se chama consciência pra alguns, ou boicote mesmo, pra outros, sempre ficou tocando na minha cabeça feito alarme de carro de vizinho, em madrugada de domingo pra segunda. Ufa!
Ir a loja de lingerie. Outro capítulo esse. Ô vontade de comprar a lingerie mais sexy do mundo. Daquelas que lembram estudante francesa sem dinheiro pra pagar os estudos. E que faz qualquer coisa pra continuar estudando. Mas que nada! Já tive os meus momentos eróticos... Mas *strip-tease não. E outra: tem que ter a música, a cadeira, meia luz, cinta-liga. Ou seja, toda uma preparação. Imagine o que o “cara” e a tia iam pensar de mim? Que tramei tudo! Cruzes! Risos! Melhor ele pensar, que depois de uns amassos fizemos amor. Que aconteceu. Quanto à tia, não contem pra ela! Nem do acaso, nem do amasso.
Agora, tirar a jaqueta, o pulôver, o cachecol, as meias, as calças, o cinto, o sutiã e todas as peças que escondem os recônditos da alma... Ah! Isso eu faço. Para os eleitos por mim: amigos, filhos e amores. Me torno nua sem pudor algum. Pra que me esconder? Para as pessoas que amo, ando nua, *coracioanalmente falando. Meus filhos sabem minhas dores. Meus amigos, meus medos. Meus amores, minhas neuras. E não tenho medo da celulite que houver no caráter, da estria que houver nos pensamentos, da espinha com pus que houver nas idéias. Então, estripitize-se! Estripitize-se pra quem você ama. Se ele (a) te amar, merece um showzinho “toda noite”! Mas não convide a tia.

* coracioanalmente: advérbio criado por mim, que indica circunstâncias ligadas ao sentimento, ao coração.
* em uma consulta ao dicionário de inglês, li que strip-tease tem o significado também de solvente. Aquilo que tira tinta. Hummmm. Quantas demãos há em sua alma? Não me bata. Risos.

Um comentário:

Marcelo Novaes disse...

Oi, Pessoa!

Comemorando teu aniversário, lendo teus primeiros textos e ouvindo essas canções, eu resolvi te presentear com este poema ( feito agora, em meio às tuas palavras ). Espero que goste.


Papiro da Pérsia




Eu queria inventar uma cor de vestido
só pra você vestir e se despir sorrindo.
Estriptizando-se, devagar. Impondo-me
seus enigmas - de sutil e meiga boneca de
papiro. Surgida - por milagre e magia -
da Pérsia antiga.



Eu queria inventar uma cor de vestido
que combinasse com seu cabelo e com
seu sorriso. E lhe preparar uma bebida,
límpida e transparente como sua alma,
clara como sua pele
lívida.




Eu queria desafligir-te do pulsar do
tempo, enquanto te despisse. E seu
pulso seria lento - nunca mais o
coração descompassado... -,
como o olhar das flores, em
março.



Eu queria te chamar de tu e de você,
te acordando com um prato de frutas
frescas e um buquê de versos, feitos
ao seu modo. Leves e louros como a
alma nesse despido corpo.




Marcelo Novaes



Beijos, e parabéns!


obs. Este poema feito ( não ao seu modo, mas por sua inspiração) estará no blog hoje.



Marcelo.